Jornal Aliança

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Home Colunas Comunicação Atenção, o perigo pode estar do seu lado

Atenção, o perigo pode estar do seu lado

E-mail

Dona "Maria Jiló" é Uma senhora de 92 anos,  miúda, e tão elegante, que todo dia às 08 da manhã ela já está toda  vestida, bem penteada e discretamente maquiada, apesar de sua pouca visão. E hoje ela se mudou para uma casa de repouso: o marido,  com quem ela viveu 70 anos, morreu recentemente, e não havia outra  solução.

Depois de esperar pacientemente por duas horas na sala  de visitas, ela ainda deu um lindo sorriso quando a atendente veio  dizer que seu quarto estava pronto. Enquanto ela manobrava o andador em  direção ao elevador, dei uma descrição do seu minúsculo quartinho,  inclusive das cortinas floridas que enfeitavam a janela. Ela me  interrompeu com o entusiasmo de uma garotinha que acabou de ganhar um  filhote de cachorrinho. - Ah, eu adoro essas cortinas...

-  Dona "Maria Ji ló", a senhora ainda nem viu seu quarto... Espera um  pouco...- Isto não tem nada a ver, ela respondeu, felicidade é algo que você decide por princípio. Se eu vou gostar ou não do meu quarto, não  depende de  como a mobília vai estar arrumada... Vai depender de como eu preparo  minha expectativa. E eu já decidi que vou adorar. É uma decisão  que tomo todo dia quando acordo.

Sabe, eu  posso passar o dia inteiro na cama, contando as dificuldades que tenho  em certas partes do meu corpo que não funcionam bem. Ou posso  levantar da cama agradecendo pelas outras partes que ainda me obedecem. - Simples assim? - Nem tanto; isto é para quem tem  autocontrole e todos podem aprender,  e exigiu de mim um certo 'treino' pelos anos afora, mas é  bom saber que ainda posso dirigir meus pensamentos e escolher, em  conseqüência, os sentimentos.

Calmamente ela continuou: -  Cada dia é um presente, e enquanto meus olhos se abrirem, vou focalizar  o novo dia, mas também as lembranças alegres que eu guardei para esta  época da vida.  A velhice é como uma conta bancária: você só retira  aquilo que guardou. Então, meu conselho para você é depositar um monte  de alegrias e felicidade na sua Conta de Lembranças. E, aliás, obrigada  por este seu depósito no meu Banco de lembranças. Como você vê, eu ainda  continuo depositando e acredito que, por mais complexa que seja a vida, sábio é quem a simplifica.

Queridos amigos leitores e leitoras. Salve! Uma vez mais estamos aqui, juntos, para compartilharmos um pouco de nossas histórias. O grande segredo da humanidade atual se constitui em saber como em com simplicidade olhar para o dom da vida e saber ser grato por tantas coisas que temos.

Sei que estória da Dona Jiló é um pouco “extensa”, mas depois de chorar muito ao lê-la achei que seria digno que vocês desfrutassem de tamanha sabedoria. Fico triste ao ver por exemplo como a tecnologia tem tomado boa parte de nossos tempos e tem distanciado nossas vidas de muitas das coisas que nos fazem bem de verdade. Com muita saudade lembro do tempo em que junto a meus familiares, ajuntávamos a beira do fogão de lenha para rirmos, compartilharmos do nosso dia e ganharmos forças para iniciar a semana. Estes dias uma pessoa muito querida me disse, `fale comigo por MSN` [detalhe estávamos ao lado um do outro] e refleti: “cadê o carinho de antigamente?”.

Hoje cria-se laços com pessoas do mundo todo e se esquece de quem está do lado. Fico muito chateado em ver como muitas pessoas estão se tornando indiferente e dependentes do (desculpem o termo) ‘maldito’ computador. Um instrumento que deveria ser apoio para ajudar em nossas diversas atividades acaba se tornando um empecilho no meio dos relacionamento que vamos criando durante a vida. Como D. Jiló precisamos aderir a um hábito de vida diário: TODOS os dias aceitar que estamos neste mundo para sermos e fazermos os que estão a nossa volta, e sim meu caro leitor, isso inclui sim o ‘próximo mais próximo’.

Fico tão feliz em ver o poder de um abraço, a cura que trás um sorriso, a benção que é uma palavra amiga, mas me parte o coração ver relacionamentos indo por água abaixo graças a falta do diálogo e a ostentação e dedicação ao principal integrante de tantas casas no dia de hoje: o computador. Se pudesse, neste momento, querida leitora, usaria um sinal de ALERTA bem grande, sim, ALERTA, a que nos atentemos a que você tem depositado boa parte da sua vida. Os dias passam e com elas as inúmeras oportunidades que temos de sermos melhores e fazermos os outros que nos rodeiam mais felizes.

Adquira a sensibilidade de olhar no olho, a educação de ser gentil e o costume de ser surpreendentemente carinhoso. Acredite, boa parte dos seus problemas já estarão a caminho de serem resolvidos. Confiam em mim? Aguardem a próxima edição onde trarei os conselhos da D. Jiló de como ser “sempre jovem”. Fiquem com Deus. Até a próxima. Abraço, Conselheiro.

 
Joomla Slide Menu by DART Creations

Conteúdo Exclusivo

Seja um assinante e tenha acesso a este conteúdo! Ligue agora!(15) 3246-3700

Pesquisar no Site:

Você está conectado através do IP: 54.224.216.155