Jornal Aliança

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Home Colunas Comunicação Correr para que?

Correr para que?

E-mail

   “Uma família de tartarugas decidiu sair para um piquenique. As tartarugas, sendo naturalmente lentas, levaram 7 anos preparando-se para  o passeio.

   Passados 6 meses, após acharem o lugar ideal, ao desembalarem a cesta de piquenique descobriram que estavam sem sal. Então, designaram a tartaruga mais nova para voltar em casa e pegar o sal. (por ser a mais rápida). A pequena tartaruga lamentou, chorou e esperneou,mas concordou em ir com uma condição: que ninguém comeria até que ela retornasse. Três anos se passaram... Seis anos... e a pequenina não tinha retornado. Ao sétimo ano de sua ausência, a tartaruga mais velha já não suportando mais a fome, decidiu desembalar um sanduíche. Nesta hora, a pequena tartaruga saiu de trás de uma árvore e gritou: 'Viu! Eu sabia que vocês não iam me esperar. Agora que eu não vou mesmo buscar o sal.' Algumas vezes em nossa vida as coisas acontecem da mesma forma. Desperdiçamos nosso tempo esperando que as pessoas vivam à altura de nossas expectativas. Ficamos tão preocupados com o que os outros estão fazendo que deixamos de fazer o que nos compete.

   Salve, salve queridos leitores e fiéis leitoras. Bom é poder estar com vocês uma vez mais. Dias destes, saindo do metro em plenas 18h30 da tarde, me espantei uma vez mais com a correria que a “cidade de pedra” está inserida. Em meio aquela toda 'muvuca' em meio a uma das principais estações de SP, em meio a toda multidão, haviam duas escadas rolantes, onde uma funcionava e a outra não. Achei incrível que eram dezenas de pessoas brigando para entrar na que funcionava enquanto a outra era possível deitar sobre ela. E o mais legal é o seguinte, não é apenas o fator “comodismo” que levou todas as pessoas a subirem a rolante, e sim o impulso do “todo mundo faz, eu também faço”.

   Cada vez mais vemos por aí, na mídia em geral pessoas e mais pessoas passando pela experiência do bisturi e realizando a torto e direito operações (inclusive de risco) para se obter um corpo ideal. Quantas pessoas que você conhece que preferem tomar alguns “atalhos” para se conseguir o que se quer. Tenho uma prima que é formada em nutrição e é tão gostoso poder ouvir ela falando da importância de se ter uma vida saudável e os benefícios que ganhamos levando em consideração a atenção a bons hábitos que podem ser colocados no dia-dia. Mas não, infelizmente, nos preocupamos com o que todas pessoas vão achar, não teremos tempo para nos cuidarmos e somos escravizados pela realidade de uma mídia que massacra e que muitas vezes impõe uma cultura onde ser um exemplo bonito ou bacana “como o outro” é eu vale a pena. Fico tão triste quando vejo as pessoas perdidas em suas próprias realidades, se esquecem que bem maior que os problemas e as dificuldades, deve ser o nosso desejo e a compreensão do amor de Deus por cuidar para que consigamos alcançar nosso objetivo. Um exemplo bem prático e pessoal, você já sentiu muitas saudades de alguém ou de alguma situação?! Pois bem, convivo com a dor da saudade todos os dias da minha vida, e como sou uma pessoa relativamente ansiosa, ao sentir saudade, é complicado entender que o tempo existe para ser cumprido e o inegável, ele passa. Repito, quantas vezes forem necessárias, já diria Ricardo Sá, “o problema é meu, mas a minha cara (e acrescento ainda, o que você tem de melhor a oferecer) é do outro”.

   E Mario Quintana complementa com toda sua sabedoria: 'O pior dos problemas da gente é que ninguém tem nada com isso'. Queridos, é preciso se desprender de pré-conceitos estabelecidos por tantos ambientes que estamos inseridos e fazermos uma nova realidade acontecer. Eu falo sempre, o meu sorriso e o meu carinho pelo outro não pode ser maior do que os problemas que trago (e ta aí o segredo para vencer os problemas acima). Você nunca vai vencer todas as lutas que tiver, mas vai perder todas as vezes que deixar de lutar. Ter um corpo perfeito, ser controlado por um relógio que não é o nosso tempo, viver em função de ou para determinada coisa é muito menor ao propósito de nossa vida. Hoje pode doer a imensidão dos problemas que você tem? Mas sem sentir a dor, o sabor da vitória nunca seria ou será o mesmo. Você pode e vai dar conta do recado! Conto com você leitor! Você é o seu maior patrimônio. Excelente Semana!

 
Joomla Slide Menu by DART Creations

Conteúdo Exclusivo

Seja um assinante e tenha acesso a este conteúdo! Ligue agora!(15) 3246-3700

Pesquisar no Site:

Você está conectado através do IP: 23.22.240.119