Jornal Aliança

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Home Colunas Refletindo Espírito dado sem medida

Espírito dado sem medida

E-mail

Os textos da liturgia de hoje nos ensinam como Deus age: Os 70 anciãos que Moisés reuniu para estarem com Deus ficaram cheios do Espírito Santo e profetizavam. Dois deles não estavam com o grupo, mas também receberam o Espírito Santo. Josué, vendo que estavam profetizando fora do grupo, correu a contar a Moisés. Este não se preocupa e diz: “Oxalá todo povo de Deus fosse profeta, dando-lhe o Senhor seu Espírito” (Nm 11,29). O mesmo lemos no evangelho: Havia gente curando em nome de Jesus e não era discípulo. João conta para Jesus como sendo uma coisa errada. Ele não proíbe, e diz que quem não é contra é a favor (Mc 9,38-40).

Podemos ver neste texto o fechamento da comunidade que quer controlar a ação de Deus. Ninguém é dono de Jesus. Onde está o Espírito Santo ali está Deus, ali está o Reino. O Espírito atua onde quer e como quer (Jo Jo 38). Nós podemos dizer que temos o ensinamento completo para a salvação, mas a salvação está onde Deus quer. Quem faz o bem, pratica a justiça e o amor, está agradando a Deus e está no Reino. Nós podemos ampliar o conhecimento da fé, mas não podemos negar a ação de Deus. Jesus ensina a ver a ação de Deus no mundo e nas pessoas diferentes de nós. É grande sabedoria ver Deus agindo fora dos nossos esquemas e estruturas. Nossa preocupação não deve se limitar apenas em trazer gente para a Igreja, mas levar o Reino de Deus a todos e acolhê-lo onde ele age de modo misterioso. Já é tempo de repensarmos nossa pastoral, pois podemos criar obstáculos ao Reino de Deus.

Deus é para todos
O mundo é muito aberto ao diferente, apoia e estimula até extravagâncias e defende o direito de todos. Por outro lado, há um fechamento muito grande a tudo que é diferente de nós. Percebemos que o fundamentalismo seja religioso, político ou social anula o ser humano. Na verdade não somos tão abertos nem tão tolerantes, principalmente em se tratando de religião. Deus não é assim. Ele acolhe a todos. Propõe mas não impõe. Ninguém é dono de Deus. Deus é para todos. O Deus justo não é o que castiga, mas o que quer vida abundante a todos. Tiago nos fala no mal que fazem os que amontoam riquezas sem a justiça animada pela caridade e não são abertos a todos. Prejudicam a si mesmos, pois a própria riqueza se corrompe.

Valor de um copo d’água.
Jesus ensina que toda boa ação tem sua recompensa. Mesmo que seja um copo d’água dada ao sedento. Para que o amor seja sempre maior é necessário não escandalizar os pequeninos. E tudo o que atrapalha o caminho do Reino deve ser mudado. Jesus usa o termo, cortado. Pelo Reino deve-se fazer tudo. A comunidade aberta é expressão do Reino que se realiza no mundo. Como lemos na carta de Tiago, os bens são bons, mas na caridade, pois do contrário se tornam um perigo. Um copo d’água dado ao pequenino tem valor de eternidade. Ao lado da recompensa pela dedicação aos outros encontramos o respeito à pessoa do outro, não o fazendo pecar. Por isso, simbolicamente, diz que corte a mão e o pé, arranque o olho se eles forem causa de pecado. Quer dizer: acabar com o uso inadequado do poder, da riqueza e do orgulho. Vemos aqui as mesmas as três tentações de Jesus no deserto. Vencê-las é caridade para os irmãos. O valor de um copo d’água não está na quantidade de água, mas na presença do amor de Cristo que é um mar de amor.
Leituras: Números 11,25-29; Salmo 18; Tiago 5,1-6; Marcos 9,38-43.45.47-48

Ficha nº 1166 -Homilia do 26 Domingo Comum (30.09.12)

1. Dois fatos paralelos contam que o Espírito foi dado e milagres foram feitos em nome de Jesus, por pessoas desligadas do grupo. Nem Jesus e nem Moisés se preocupam, pois Deus não se restringe aos nossos esquemas. Quem faz o bem e pratica a justiça está dentro do Reino de Deus. Podemos ver a ação de Jesus em pessoas diferentes de nós. Não podemos colocar obstáculos ao Reino de Deus.

2. O mundo se diz aberto para acolher tantas diferenças. Mas, é fechado à fé e ao Reino. Deus acolhe a todos. Tiago mos fala do mal que fazem os que amontoam riquezas e são abertos para dar a vida para todos.

3. Jesus ensina que toda boa ação tem sua recompensa. Não podemos escandalizar os pequenos com nossa má ação. O que prejudica o reino de Deus deve ser mudado, cortado. É a expressão que usa cortar a mão, o pé e arrancar os olhos. Esses simbolizam o a riqueza, o poder e o orgulho. O valor não está na quantidade de água do copo, mas na riqueza de Deus presente na caridade.

Deus não é ridico
Você sabe o que é ser ridico? É esconder o que tem para não dar para os outros. Como Deus é generoso em dar seu Espírito a todos, como diz Jesus no Evangelho, assim os que possuem bens podem ser abundantes em sua doação como é Deus.

O modo de fazer a riqueza ser boa para Deus é ser justo pagando os salários, vivendo com fartura, mas sem a luxúria da riqueza e dos prazeres. Fazer o bem é sempre sinal de estar com Deus. Até um copo de água dado com amor não ficará sem a recompensa.

O evangelho manda cortar a mão ou o pé e mesmo arrancar o olho se nos levam a pecar. O poder, a riqueza e o orgulho são usados por Jesus com as palavras mão, pé e olhos. Seu uso inadequado é o pecado, isto é, o desajuste da vida diante de Deus e das pessoas.

 
Joomla Slide Menu by DART Creations

Conteúdo Exclusivo

Seja um assinante e tenha acesso a este conteúdo! Ligue agora!(15) 3246-3700

Pesquisar no Site:

Você está conectado através do IP: 54.234.190.237