Jornal Aliança

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Home Notícias Saúde Silencioso, o diabetes pode confundir o paciente e trazer riscos para a saúde

Silencioso, o diabetes pode confundir o paciente e trazer riscos para a saúde

E-mail

   Mais de 12 milhões de pessoas são portadoras e quase 30% não sabem

   Considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma epidemia mundial, o diabetes tipo 2 em suas fases iniciais não apresenta sintomas agudos e, quando a doença não está descompensada, pode passar despercebida tanto em adultos quanto nas crianças. Muitas vezes, as complicações podem se instalar e progredir antes mesmo que o diagnóstico seja feito.
   Segundo estimativas da International Diabetes Federation (IDF), só no Brasil são 12 milhões de portadores do diabetes e quase 30% desse contingente não sabem que tem a doença.
   A “Regra das Metades”, que ajuda a estimar a detecção, o diagnóstico e o tratamento, estima que apenas metade das pessoas com diabetes na América Latina são diagnosticadas e 25% recebem tratamento adequado. Passados alguns anos com a doença, o agravamento pode desencadear problemas nos olhos, rins, nervos e vasos, acarretando em prejuízo da visão, perda da função renal, amputação de membros inferiores, infarto e derrame. E é por isso que se atentar aos sintomas é tão importante.
   Os principais sintomas são: muita sede, muita vontade de urinar, fadiga, aumento do apetite e emagrecimento.
    No tipo 1 da doença, menos comum, os sintomas são os mesmos, porém aparecem de uma forma mais rápida e aguda. A doença acaba sendo descoberta em meio à uma situação de risco, como no pronto atendimento dos hospitais após algum problema de saúde mais urgente. Em qualquer situação, é sempre importante não minimizar os sintomas e procurar um médico ao notar alguma alteração no organismo. Assim, é possível realizar os exames e, se necessário, dar início ao tratamento o mais rápido possível

   Tipos de diabetes
   Tipo 1 - Na maioria dos casos, trata-se de uma doença autoimune, caracterizada pela destruição das células beta do pâncreas, responsáveis pela produção de insulina. Este tipo é geralmente diagnosticado ainda na infância ou adolescência, mas pode surgir também em outras faixas etárias.
   Tipo 2 - É o tipo mais comum e corresponde a 90% dos casos. Ocorre pela insuficiência ou resistência à insulina (ação alterada da insulina). Cerca de 50% dos portadores de diabetes tipo 2 não sabem de sua condição, justamente pelos poucos sintomas que apresentam no início da doença.

 

 
Joomla Slide Menu by DART Creations

Conteúdo Exclusivo

Seja um assinante e tenha acesso a este conteúdo! Ligue agora!(15) 3246-3700

Pesquisar no Site:

Você está conectado através do IP: 54.198.170.159